terça-feira, 9 de abril de 2013

Em frente ao espelho!

Por um longo momento
Fiquei ali parada em frente ao espelho
Penteando meus cabelos
E tentando encontrar vestígios de alguém
Que um dia esteve ali
Não me reconheço mais
Não me vejo mais como antes
As marcas do tempo me foram cruéis
Tento desesperadamente as vezes trazer de volta
O que um dia esteve aqui, repleto de memórias, de lembranças
Quero lembrar de tanta coisa
Mas não passam de flashes
Minha memória não é mais a mesma
Não me lembro de nomes e rostos
Datas que me marcaram
O tempo tratou de apagar
Algumas poucas ainda me restam
Luto diariamente contra o tempo
Contra o relógio que a cada dia parece trabalhar mais rápido
Apagando as memórias que ainda restam em mim
As vezes fico cantando, trazendo cantarolas do meu tempo de criança
Para que possam me ajudar ao menos a lembrar de fatos passados da minha história
As vezes choro, deixo as lágrimas lavarem meu rosto, minha alma
Com esperanças de que um dia eu possa lembrar de mim
De quem sou e não apenas do que me restou


É isso

Bjo

Como alguns sabem, minha avó tem Alzheimer e mais uma vez me veio esses versos vendo a visão dela da doença. Uma pessoa incrível ela, linda, guerreira, que sempre lutou para manter a família unida, como dizem, ela era a xerife da família, rsrs. É uma das pessoas mais importantes da minha vida. Tenho um amor incondiconal por ela.
Legenda: A que está em pé é minha tia, depois vem minha mãe toda séria e minha vó linda, aquela cortada é minha irmã, rs.

19 comentários:

Wanderley Elian Lima disse...

Oi menino
Lindo poema, carregado de emoção. Sei o que é isso, pois meu pai também teve essa doença, resta o consolo de saber que eles não sofrem, pois esquecem até o que é sofrimento.
Meu carinho
Bjux

Dimas Bertolucci disse...

Oi Dil,
muito bacana o texto.
Essa doença é realmente muito triste, ela apaga da sua mente a sua história né?
Abraços querido.

Senhor do Século | Beleza para homens

Fred disse...

Ah... coisa linda isso! Tu é um queridão mesmo, né? Adorei a fotinho de família! Beijos queridão!

FOXX disse...

ah, eu não sabia da sua avó... agora não sei o que dizer...

Giba disse...

Olá Dil, parabéns pela homenagem a sua avó.
Bonita familia.
Um grande abraço
Giba

Frederico disse...

vc é bem parecido com a sua mãe

Chiara disse...

que lindooo!!!!!

Fred disse...

Bom finde, gatucho!!! Beijos!

Três Egos disse...

Fico contente me saber em como ela está sendo bem cuidada. O importante é cuidar dela assim como ela cuidou de todos durante todos estes anos.

Beijo!

Ro Fers disse...

Lindo o poema e admirável a criatividade.
As palavras nos fazem refletir o quão ruim é essa doença...
Abraços!

Fred disse...

Com certeza, Dil! O "Belo" é pra colocar medo até no Bicho Papão... hahahahaha! Adoro seus "doces venenos"... hehehe! Bjos!

Otávio disse...

lindo!!!
o tempo é uma coisa que me assusta, muito! Nao sei como lidar com isso, acho que só deixando ele passar pra ir aprendendo né.

Fred disse...

Relaxa Dil... tu pode escolher sempre todos, tzá? Beijos seu guloso! Hahahahahha!

Fred disse...

Que bom que gostou dos clipes, Dilzito! Boa quarta pra ti, guri! Bjos!

Patricia Reis disse...

Que lindo, me fez chorar, muito lindo mesmo.. Parabéns

Patricia Reis disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Patricia Reis disse...

Que lindo, me fez chorar, muito lindo mesmo.. Parabéns

Lulú disse...


Olá Dil
Vim visitá-lo e encontrei seu testo que me fez lembrar de um amigão e um primo muito querido que essa doença os levou.
Pelo menos fica o consolo de que eles esquecem até o que é sofrimento, como disse um comentário aí entre os demais.
Cuide de sua vovó sempre que for possível.
Beijos
Maria Luiza (Lulú)

Menina Fênix disse...

Vc me emociona tanto !!
Minha voh tinha esse alemão como companheiro tb...Agosto faz um ano que ela foi nos guiar lá do paraiso !!
SAUDADES DAQUI E DE VC