sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

Olhando para o horizonte!

 Sentado ali no canto sozinho, em meio ao escuro, escutando apenas o som da minha respiração, vou sentindo algumas lágrimas escorrendo por meu rosto. Um choro silencioso, doloroso até, não sei explicar bem quais sentimentos parecem tomar conta de mim nesse momento. Eu tento convencer a mim mesmo de que as coisas irão melhorar, mas no fundo não acredito em minhas próprias palavras. Me sinto perdido, sem chão e por mais que eu me esforce em encontrar um caminho o qual eu devo me direcionar, mais me perco. Me levanto e vou tomar um banho, fico parado embaixo do chuveiro, enquanto aquela água quente cai sobre mim. Perco a noção do tempo ali, só caí em mim, quando senti minha pele arder por causa da água quente. Saio do banho e fico parado em frente ao espelho, vendo alguém que eu não reconhecia. Coloquei uma roupa qualquer e fui para a sala, posicionei uma poltrona voltada para a janela e peguei uma caneca com chá. De certa forma me acalma ficar parado, olhando para o horizonte, vendo o vento soprar as cortinas e enquanto tomo meu chá. Minha caneca já estava vazia, me levantei e a pus na pia. Voltei e fiquei ali sentado, com as pernas encolhidas, sentido um vento que começava a soprar frio e um pouco mais forte naquela noite. Não me lembro de quanto tempo se passou, apenas de ter acordado com uma claridade em meu rosto. Havia amanhecido e eu estava totalmente destroçado de cansaço. Me levantei, tomei um café e decidi que iria tirar o dia para mim, colocar uma boa música, dançar sozinho quem sabe, essa seria uma boa opção, fazer algo gostoso para comer. Tempos que não vou para cozinha fazer algo, tanta coisa que abri mão e hoje me arrependo, mas fazer o quê? Viver é fazer escolhas certas e erradas, tá certo que as erradas costumam virem acompanhadas de um pouco de frustração, decepção, raiva, uma vontade de quebrar tudo, pegar aquele prato ou copo e jogar na parede, como nas novelas, mas me lembro depois, que terei que limpar, mudo de ideia rapidamente em relação a isso. Mas as boas sempre são deliciosas, como aquele sorvete de mirtilo que tanto gosto. Sempre faço essa comparação, não muito comum, mas gostosa. Acho que essas comparações estranhamente deliciosas faz com que sejam mais interessante algumas coisas, tem seu charme essas particularidades. Vou para o quarto, coloco um filme qualquer para assistir. A vontade de escrever após o filme cresce e fico parado em frente ao computador, não demora muito e logo estou ali, tentando despejar meus dramas, medos, emoções enfim, é tanta coisa que nem consigo mais distinguir. Fico olhando por um tempo aquela página em branco do Word, esperando apenas que as palavras certas pudessem se manifestarem. Me sinto bem melhor após desabafar nesse modo pouco convencional. Tenho essa necessidade de me isolar e colocar tudo para fora, de escrever quase que compulsivamente após passar por períodos conturbados em minha vida. As vezes a realidade soa meio cruel até, parece que tudo o que desejamos é distorcido e vem essa materialização barata e vagabunda de algo que era perfeito em nossos pensamentos.


Gente! É fictício viu? rs

Gente, aviso importante agora. Eu estou concorrendo novamente ao prêmio TopBlog 2013 e preciso que vocês votem em mim. Por favor, peçam a seus amigos, parentes, conhecidos e desconhecidos, não se sintam envergonhados em pedir, rsrsrsrs.
Vai levar apenas 1 minuto, é só clicar no selo do lado direito que você será direcionado a página de votação ou pode clicar aqui. Pode votar por e-mail ou facebook, de preferência votem pelos dois. Só uma observação, caso você tenha mais de uma conta de e-mail não se esqueça de votar por ela também e validar seu voto clicando no link que irá receber por e-mail, verifique se está no spam.
Muito obrigado



6 comentários:

Fred disse...

Às vezes - olhando pro horizonte vislumbramos a nós mesmos, nzé? E sim, que venham as férias, Dilzito! Hehehehe! Bjão!

Paulo Roberto Figueiredo Braccini . Bratz disse...

nos ver e nos reconhecer sempre ... este é o grande desafio desta vida ...

felicidades querido ...

Madi Muller disse...

Dil,lendo esse texto me lembrei da célebre frase do Nietzsche: "Torna-te quem tu és."

Fred disse...

Dil, doce de acarajé do Tio Fred!!! Passando pra te desejar feliz natal e um lindo 2014, meu querido!!!
Beijão e be happyyyyyyyyyyyyyyyyy!!!!

Mikaele Tavares disse...

Texto belo, apesar de triste. Mas, acredito que algumas vezes alguns de nós nos sentimos assim. Já passei por isso, e quase como vc descreveu rsrs. Ah, votei para vc :) Beijos

FOXX disse...

Ê alívio de ler que era fictício, deu muita vontade de te dar um abraço, mas isso significa que vc sabe nos envolver na sua história, né?