terça-feira, 31 de maio de 2011

Vazio!


As vezes me vejo
Mergulhado no vazio da solidão
As vezes o silêncio
Se torna torturante, cortante
Como uma navalha afiada
As vezes a dor
Se torna dilacerante em meu corpo
Quero com alguém desabafar
Mas quem poderá me escutar? Me entender?
Sem me criticar?
Meu corpo não o vejo mais belo como antes
Cada vez que me olho ao espelho
Não me reconheço
Aquele corpo que antes eu tinha orgulho de exibir
Hoje me envergonha ao aparecer
Apenas tento-o esconder
Entre roupas largas, que desfarçam
Esse corpo esquálido que ficou em mim.
Ajuda?
Sim, obrigado.
Mas o passo mais conflituoso em mim
É lhe pedir, lhe estender a mão
Esperando ser segurada, ser ajudada
Mas a coragem para tal
É algo que em mim não é natural
Eu quero que olhem para mim
E não me condenem, não me julguem
Como se eu fosse um animal
Quero que me ajudem, me levem mesmo que a força
E que façam eu me sentir novamente
Normal.


Esse poema é para tantas e tantas pessoas que passam ou passaram por momentos conturbados, com problemas emocionais sérios, dos quais acabam procurando "conforto" ao se auto mutilarem psicologicamente ou fisicamente. Os distúrbios alimentares, são uma referência da qual eu fiz no poema. Refletiu um pouco do que passei quando tive anorexia e várias pessoas que tiveram problemas similares.
Graças a Deus me recuperei a tempo, antes que fosse mais agressivo ou mesmo fatal. Infelizmente algumas pessoas não tiveram a mesma sorte que tive.
Fiquem atentos as pessoas que estão próximas a você, pois muitas vezes acabam não percebendo o que se passa e quando encontram alguns indícios, o estado já está mais avançado. E se é você quem está passando por algo assim, não sinta vergonha ou medo de pedir ajuda. Sei como é difícil, conflituoso, pois a pressão que a sociedade ou até mesmo a família impõe, faz com que o medo de ser julgado, apontado acaba dificultando mais ainda o processo de recuperação, de auto aceitação.

Ah, não se esqueça de votar em mim para o prêmio TopBlog 2011, caso já tenham votado, por favor, não se sintam envergonhados em pedir para seus amigos, parentes, conhecidos e desconhecidos para votarem em mim, rsrsrs. É só clicar no selo do prêmio, que fica do lado esquerdo, depois de votar é só confirmar seu voto através do link que irá receber via e-mail ou twitter.
Gente, caso dê algum erro na página, é só atualizar que volta ao normal.

É isso

Bjo

Contato:dilsantos@rocketmail.com

20 comentários:

Beto Veroneze disse...

Votei, viu Dil?
Beto Veroneze

Wanderley Elian Lima disse...

Olá Dil
Muitas pessoas ao nosso lado as vezes precisam de ajuda, e nós nem percebemos. Seu poema e suas observações foram bastante contundentes. Parabéns.
Bjão

Alê disse...

Acho que se a gente aprender a 'ver', ao invés de apenas olhar, vai compreender e entender muito mais as pessoas,

E ser compreendido também,

Bora aprender a 'ver' com mais delicadeza?


Uma semana linda,


Um beijo


*Na torcida pelo teu blog

Paulo Braccini disse...

Muito denso e forte mas verdadeiro ... parabéns ao Dil e obrigado pelo seu carinho por lá querido ...

bjão

Sentimental ♥ disse...

sei bem o q é o vazio...

Francorebel disse...

O vazio da espera, o vazio de ser humano, da falta.

Tudo falta, mesmo quando temos tudo.

Fred disse...

É vero. Tem uns vazios que por mais que o tempo passe nunca se enchem! Bacana, Dil! Hugz, Mr Lion!!!! Hhehehe!

Lady's disse...

muito legal o poema
de quem é a autoria? é seu?
bjos

F. disse...

Apareci... aqui.... não sou relapso... na maior parte do tempo, pelo menos.


Bj!


F.

Fred disse...

Sabe como é, né?
Vez que outra a gente mostra a latinha... hahahahaha!!!!
Hugzão!

Francorebel disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Francorebel disse...

Q bom.

Mariposo-L disse...

Dill, não posso dizer que gostei , porque não gostei mesmo, sofrimentos não são minha praia, mas por outro lado é motivo de felicidade para mim , principalmente por nunca ter passado "ainda" por um situação que ma faça sentir assim :)

Um abração :)

Ahhh já votei :)

Fred disse...

Valeu, Dilzão!!!!! Maravilha de final de semana pra ti, guri! Hugzão!

Tom disse...

Com certeza... Passou da hora de pedir ajuda, mas pedi!
Abração!

Luna Sanchez disse...

As pessoas são tão parecidas na dor, né, Dil?

Beijo. Saudades.

Déia disse...

Oiiiii

Esse texto chega a doer de tão real!
Concordo com a Luna e com Cazuza, todo mundo é parecido qdo sente dor!
Que bom q elas passam!
Saudade de vc
bj

Insana disse...

Estava com saudades de suas palavras, meus dias sem ter o que dizer me tirou ate gosto por ler. mais volto e aos poucos recupero o que perdir..

Doce menino durante estes dias onge sentir sua falta,seu carinho.. "eu" eu nunca te critico, entendo e dou meu colo amigo..

gostei de ver que fez mudanças, sera que o menino ta crenscendo..
bjs
Insana

Rute disse...

Oi meu querido, como sempre seus textos são intensos e reflexivos.

Muitas vezes o grito de socorro, não é manisfestado pelo grito e sim pelas atitudes da pessoa em sim. Atento sempre. .
Beijos

Mariposo-L disse...

Oi Dill, desculpe pelo comentário, mas acho que uma "qualidade" em mim é ser sincero ... as vezes até d+, e na maior parte do tempo um grande problema, afinal as pessoas não gostam de ouvir o que não quer ver...
Mas gostei da forma que encarou :)


Um abraço :)