sexta-feira, 21 de setembro de 2012

De mãos dadas!

Hoje eu havia visto na rua, um casal de velhinhos,andando de mãos dadas e fiquei ali, parado por um tempo, admirando isso. Foi uma cena linda, emocionante, daquelas que a gente quer poder viver um dia. Encontrar alguém a quem amar, que nos ame e construir uma história bonita, claro que com seus dramas, mas o que seriam das relações sem os dramas para dar aquela balançada e deixar a relação mais emocionante? Engraçado que me lembrei de Danuza Leão, nada a ver com a história, mas veio assim sem mais nem menos. Eu sou um apaixonado pelas suas crônicas, confesso que já tive meus momentos inspirados nela. Gosto da forma como ela leva as coisas, acho uma forma tão natural, que paro e fico imaginando as cenas repassadas em suas crônicas. Século após século, as formas de se falar de amor sempre são um pouco clichês, mas não as deixamos de usar. Seja declamando versos de Sheakspeare, poemas autorais, tirados da internet, serenatas, mesmo não sendo algo comum de se ver ou mesmo vindas de frases de embalagens de bombom. Seja com uma rosa, que consegue tirar do olhar algumas lágrimas de felicidades, colocando um sorriso bobo em sua face ou mesmo um momento de silêncio, onde seus olhos dizem tudo o que sentem, sem a necessidade de se pronunciar uma única palavra se quer. Muitas vezes apenas isso é o que queremos, num determinado momento se torna o suficiente para nós, sabermos através do olhar da pessoa amada, que o sentimento que estamos ali, expondo, doando, é recíproco, pois amar é doar. É o tocar das mãos, o sussurrar nos ouvidos, as palavras que mexem conosco, que nos provocam e faz com que a gente fique com aquele brilho no olhar. É tão intenso quanto um eu te amo, dito de forma sincera, sem amarras, sem pressões, saída de forma natural, naquele momento em que você menos espera. Nesses momentos simples, é que se concentram os momentos mais fortes e intensos da vida de uma pessoa, são esses que serão lembrados muito tempo depois e mesmo tendo passado todo esse tempo, ainda será capaz de deixar você sorrindo a toa pelos cantos,com aquela cara de apaixonado que logo no início vivia estampada.


É isso

Bjo

Mais um dos poemas perdidos que encontrei esses dias, rs.

Gente, a campanha continua, as votações da 1º etapa vão até o dia 30/09/12, então continuem votando em mim para o Prêmio TopBlog 2012, peçam a seus parentes, conhecidos, desconhecidos, amigos, amigos dos seus amigos e assim por diante. Sejam tão caras de pau como eu estou sendo, esse ano quero ganhar e preciso da ajuda de vocês para isso. Podem clicar aqui  ou no selo do lado direito. Ambas as formas lhes levarão para a página de votação.
Obrigado a todos.

Contato: dilsantos@rocketmail.com




8 comentários:

FOXX disse...

ai o amor... queria saber como é...

Peter disse...

Eu sempre que vejo um casal, principalmente mais velho, de mãos dadas me sinto assim... É lindo mesmo, e os pensamentos flutuam... ai, ai...

Abraços e bom domingo!

Dani Brito disse...

Oiii Dil!!!
Nossa, quanto tempo hein, como voce esta sumiu amigo!!!
Dil eu me derreto qdo vejo casais de velhinhos e é isso o que eu quero pra minha vida: envelhecer ao lado do meu amado, porque realmente amar é voce se doar e ceder a seus desejos...mas o amor é tudo de bom!
Beijão Dil...e ja votei no seu blog viu ?

Frederico disse...

Muito Bonito o poema :)
bjoo boa semana!!

Fred disse...

Lindo, lindo, lindo!!!
Adoro(amos) ver o Dilzão assim - todo inspirado... hehehe! Bjs!

Fred disse...

Eu tô ótimo, querido! E tu? Sim... tá perto o níver do meu "filhote"... hehe! Bjs!

railer disse...

amar é importante, não importa como.

Joel Vieira disse...

Olá, não posso deixar de compartilhar com vc que é mesmo lindo querer e até mesmo esperar um amor desses, que ultrapasse gerações.

Sigo aqui, quando der visite meu espaço

Abraço