terça-feira, 15 de maio de 2012

O tempo!

É engraçado, na verdade não tão engraçado assim, como o tempo está passando numa rapidez incrível, que chega ser assustadora, principalmente quando encontramos alguém que vimos pequeno, que para nossa surpresa está enorme, com filhos e tudo mais, aí vem aquele leve desespero de que estamos ficando velhos, melhor, experientes, rs. Claro que isso é bom, pois estamos vivos e com saúde que é o que importa, mas dá aquela leve tristeza, de que o tempo logo chegará e as marcas com toda certeza lhe acompanharão. Depois são cremes e mais cremes milagrosos, ao menos queremos acreditar que sejam e os mirabolantes tratamentos estéticos, que por sinal são uma maravilha, fazem um bem enorme ao corpo e ao ego. Aí vem aquela saudade, daqueles tempos de infância, quando se podia correr livremente, sem preocupações, apenas com obrigações de ser criança, de divertir-se e de estudar. Logo depois vem a adolescência, vamos lembramos daqueles velhos dilemas, alguns bem idiotas por sinal, mas tudo bem, ser adolescentes as vezes é ser meio assim, rs. Aí vem aquelas coisas maravilhosas, como a primeira paixão, que não importa a idade com que ocorreu, sempre será especial, terá deixado uma marca em sua vida. Infelizmente tem aquelas primeiras paixões que só deixam marcas duras em nós, mas logo vêem um especial para mudar esse histórico. Aí que começa  a fase adulta, cheia de obrigações, uma correria danada, as vezes cobranças, mas vamos dando aquele jeitinho e levando tudo de uma forma leve, meio que movido com uma ótima trilha, tá alguns não tem tão bom gosto assim, mas tudo bem e vamos indo. O bom é a independência, saber que você pode cuidar de si mesmo, sem depender de ninguém é o melhor. Mas o melhor  mesmo é quando se está com alguém especial, alguém que você definitivamente pensa " é com esse(a) que vou passar os últimos dias da minha vida". São tantos sonhos que a gente fica meio bobo até, quando a gente para pra pensar nisso tudo e vem um sentimento tão gostoso, que você quer ter esse gostinho pra sempre. E a parte chata são as perdas, sejam de parentes próximos ou não tão próximos assim, amigos, conhecidos ou não, por quê uma morte sempre nos abala, independente de quem seja. Seja aquele amigo que se mudou para longe de você ou aquele amor que terminou. Mas o que importa realmente é estar bem, feliz em todos os campos, tanto emocionais como profissionais e se não está, vamos tratar de mudar isso, vamos procurar fazer algo para que aquele brilho em seu olhar fique mais intenso.

É isso

Bjo

Contato: dilsantos@rocketmail.com

6 comentários:

Cesinha disse...

Menino, já fazendo retrospectiva de vida! Tá cedo não acha? (kkkkk). Brincadeirinha... você deve perceber que sempre que levamos nossa vida baseada em esperança e aprendizado tudo se torna mais fácil. E a sucessão dos dias apenas vai deixando a gente melhor ainda.

Beijos, meu lindo.

railer disse...

uma vez li num lugar que 'o futuro tá chegando tão rápido que daqui a pouco vai começar a ficar atrás da gente'... é por aí... rs

legal o texto. a felicidade tem sido um assunto constante nos blogs recentemente. bacana isso.

FOXX disse...

ixi...
eu vejo meus colegas de escolas e eles todos com suas vidas construidas e eu aqui ficando pra trás... se eu fizer essas avaliações q vc fez... coisas como primeiros amores na adolescência, independência, alguém especial... nada disso eu já tive...
ê vidinha chata a minha.

Frederico disse...

as vezes queria que passasse mais rápido as vezes mais devagar sei lá, mas sempre é ao contrário do que quero eehehehe

Margot disse...

Oi Dil... atrasada... mas cheguei! O tempo passa. Isso é inevitável. Afora a infância e as bobas questões adolescentes... tudo é aprendizado. Qdo chegamos na fase da razão, para todo e qualquer lugar que se olha, em tudo o que se ouve e vê... tudo, tudo, tudo nos ensina algo útil. Mas o preço é caro. A pele não é mais viçosa, e não tem creme que dê jeito, a força e disposição não são as mesmas e infelizmente os sonhos também ficam menores. É o ciclo se fechando. Se pudéssemos ter o vigor da juventude na racionalidade da maturidade... a vida seria perfeita. Não o é. Mas... tudo é vida!
Abraços querido

Alan disse...

Dias atrás descobri que minha primeira namoradA (é, já tive uma. kkkkkkkkkk)tinha acabado e dar a luz e foi a primeira vez que me veio o 'tapa na cara' de que o tempo está passando. Ontem eu tinha 15, o vento soprou e PAH, 22! Adorei o texto e obrigado pela visita no 'Crônicas' rs
BjO