domingo, 6 de maio de 2012

Canção do tempo!

Aqueles versos, que estavam perdidos
Ali, no fundo da gaveta
Escritos num papel que ficou meio amarelado
Um pouco danificado
Pelas traças, poeira que tomavam-na como seus
Como propriedade que a muito haviam sido esquecidas
Por seu criador
Meio que de repente
É resgatada do tempo
Então, uma mudança lhe vêem a cabeça
Então é decidido pôr uma nota aqui, outro acorde ali
Então aqueles versos
Por fim, é musicalizado, é transformado
Numa linda canção do tempo
Quem sabe numa declaração de amor
Para alguém especial
Por quem você se apaixonou

Essa semana me deu uma vontade de postar poesias, são tantas escritas e outras que estão por nascer, que senti a necessidade de compartilhá-las.
Será postado diariamente um poema, um sentimento meu, seu, do João, da Maria, do Jonas, da Helena, do José, dos Ciclanos e dos Beltranos que estão por aí, que não expressam seus sentimentos através das palavras, mas que gostariam de algum modo, que isso viesse a tona e pudesse emocionar aquele por quem seus sentimentos fluem.

É isso

Bjo

Contato: dilsantos@rocketmail.com

9 comentários:

Alê disse...

O tempo das ''amadurecências''


bjkas

FOXX disse...

eu acho q não gosto mais de poesia...

Frederico disse...

adoro as poesias que vc posta aqui :)

Rute disse...

Meu querido como sempre nos supreendendo com suas escritas.
Beijos, ótima semana.

Cesinha disse...

Você sabe o que eu penso... tudo o que você escreve é como se fosse um pedacinho seu. E os poemas são como o seu carinho, a sua atenção, o aconchego que você sempre dispõe a nos oferecer.

Beijos.

Smareis disse...

Olá Menino queridão,

Maravilhoso como descreveu a canção do tempo.
É gostoso deixar essas emoção de escrever poesia fluir em palavras.

Beijokas no coração!

Prisioneiro 0001 disse...

Eita!

Margot disse...

Gosto de poemas também Dil, mas não me atrevo a escrevê-los. Post um por mim.... adorarei. Abraços querido.

railer disse...

nada melhor que uma paixão para nos inspirar...